Com o atacante Vinicius Junior, do Real Madrid, como garoto-propaganda, a CBF lançou nesta terça-feira, no Rio de Janeiro, a nova camisa da seleção brasileira na cor branca. Esse uniforme era o principal do Brasil até o vice-campeonato da Copa do Mundo de 1950, que foi disputada no país. Segundo o novo presidente da entidade, Rogério Caboclo, a versão será utilizada na estreia da Seleção na Copa América, contra a Bolívia, no dia 14 de junho, no Morumbi.

O novo escudo, também apresentado nesta terça, só entrará nos uniformes em março 2020, na primeira rodada das eliminatórias. A camisa de cor branca será o terceiro uniforme da seleção brasileira. A camisa principal ainda é a amarelinha, que também foi remodelada e faz referência à equipe de 1989, campeã da Copa América disputada no Brasil.

O segundo uniforme é o mesmo modelo apresentado em 2018, com um azul celestial e marca d’água em estampa de mosaico formada por estrelas que partem do escudo. Escolhido para apresentar a novidade, Vinicius Junior agradeceu a oportunidade.

“Primeiramente quero agradecer o carinho que vocês têm por mim, por me fazerem o convite de vestir essa camisa, que há muito tempo o Brasil não veste. Obrigado a todos. Tamo junto!”, disse Vinicius.

O evento foi realizado no Museu da CBF, dentro da sede da entidade, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. E teve início após a posse do novo presidente da entidade, Rogério Caboclo. Vinicius Junior, que chegou a ser convocado por Tite para os amistosos contra Panamá e República Tcheca, acabou cortado por conta de uma lesão no tornozelo direito.

A camisa branca deixou de ser usada como uniforme principal do Brasil definitivamente em 1954. Depois do vice-campeonato na Copa de 1950, a Seleção ainda conquistou o Pan-Americano de 1952 e disputou algumas partidas até aposentar de vez a cor. Em 2004, voltou a vestir a versão original em amistoso contra a França, em comemoração aos 100 anos da Fifa.

A versão branca é uma homenagem aos 100 anos do primeiro título conquistado pela seleção brasileira, no Sul-Americano de 1919. De acordo com Rogério Caboclo, os campeões daquela conquista serão lembrados na abertura da Copa América deste ano, quando o Brasil utilizará o novo uniforme.

– Temos orgulho de toda a nossa trajetória. A Seleção Brasileira é a maior de todos os tempos, com maior número de taças, vitórias e gols marcados na Copa do Mundo. Nossa camisa tornou-se símbolo de alegria, talento e liberdade e o time de 1919 faz parte dessa linda história – destacou Rogério.VEJA MAIS IMAGENS DO NOVO U


Por Globoresporte.com

ESSA MATÉRIA JÁ FOI VISTA 125

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here