São Bento obtém a melhor média em Gestão Educacional, na região do Médio Piranhas

168

O município de São Bento, no Sertão da Paraíba, aparece em 1º lugar, na análise sobre Gestão Educacional, na região do Médio Piranhas, que engloba as cidades polarizadas por Catolé do Rocha e Pombal.

A Capital Mundial das Rede, como é mais conhecida, aparece na 13ª posição na região, de acordo com a classificação do Atlas da Eficiência da Gestão Municipal da Educação 2018, lançado em Brasília (DF), seguida por Pombal, na vigésima nona posição (29ª) e Catolé do Rocha na quadragésima sétima (47ª).

De acordo com a avaliação, as cidades de Belém de Brejo do Cruz, Brejo dos Santos, Jericó, Mato Grosso, Riachos dos Cavalos e São José do Brejo do Cruz obtiveram ‘nota vermelha’ no conceito do estudo, sendo, portanto, classificadas como ineficientes na gestão do Ensino Fundamental.

Conforme as estatísticas apresentadas, a Gestão da Educação em 204 municípios da Paraíba – 97, 6 % – é avaliada como ineficiente no Nível Escolar analisado,

A Por outro lado, somente 5 (2,4%) são eficientes em termos de gestão educacional nessa mesma etapa da educação básica.

O Atlas, que conta com o apoio institucional da Universidade de Brasília (UnB), compara a gestão pública entre municípios de um mesmo estado, traduzindo-a em números e permitindo verificar quais são mais ou menos eficientes em diferentes setores.

No caso da Educação, são observados critérios como valor investido por aluno, retenção escolar, aprovação e proficiência.

A coleção Atlas da Eficiência foi pensada como um instrumento para orientar os gestores públicos com parâmetros a fim de que possam melhorar o desempenho e o atendimento à população em áreas cruciais. Também disponibiliza os ajustes necessários para que os municípios se tornem eficientes.

Serve, ainda, de suporte à própria sociedade, municiando-a com informações que auxiliem na avaliação dos gestores, seja apoiando o bom desempenho, seja cobrando melhorias nos serviços ofertados.

O prefeito do município, Jarques Lúcio da Silva II, avaliou o resultado do estudo como uma consequência de um conjunto de fatores, citando o exemplo de reforma de escolas, qualificação profissional, parcerias com entidades educativas, melhoria do transporte estudantil, fornecimento de material didático, dentre outros.

Na opinião do secretário Municipal de Educação, Raimundo Maia, as estatísticas apresentadas na avaliação traduzem a responsabilidade da gestão com o Ensino Básico de São Bento, chamando a atenção para o gráfico da pesquisa, onde mostra a correta aplicação dos recursos no setor, com quase 100 %, ademais, relata dados relativos ao aumento do número de estudantes entre os anos de 2017 e 2018 no ensino regular, a melhora na estrutura física das escolas, além dos investimentos devidos na parte pedagógica e educacional, com prioridade, sobretudo, no alunado.

Ascom

Essa matéria já foi vista 666