Jurandir da Prensa
Chacina

PC envia GOE para investigar chacina em Catolé do Rocha. Veja

PC envia GOE para investigar chacina em Catolé do Rocha. Veja

23/06/2020 15h10
Por: Mais São Bento
1.106

A Polícia Civil da Paraíba enviou no início da manha desta segunda-feira(22Junho2020), uma equipe do Grupo de Operações Especiais(GOE) para a cidade de Catolé do Rocha, sertão do Estado, a fim de auxiliar nas investigações e diligências a respeito da chacina ocorrida neste fim de semana, que culminou com a morte de seis pessoas na cidade, num espaço temporal de 24 horas.

A informação foi confirmada pelo delegado geral, Isaías Gualberto, que afirmou que a Polícia está tomando todas as providências para localizar e prender os responsáveis pelas mortes. “Estamos efetuando diligências em toda a região, juntamente com o delegado da 3ª Superintendência de Polícia Civil, Sylvio Rabelo, e o delegado da cidade de Catolé do Rocha, Roberto Barros, agora com o apoio da equipe especializada do GOE”, ressaltou.

Na tarde deste domingo(21Junho2020), quatro pessoas de uma mesma família foram mortas, sendo que duas outras já haviam sido assassinadas na cidade, totalizando seis mortes no fim de semana.

No sábado(20Junho2020), o
 jovem entregador de gás, Thiago Anízio de Oliveira(21 anos) conhecido popularmente como "Bolinha", foi assassinado com vários tiros de pistola calibre 380 por volta das 10h00m, crime praticado por dois elementos numa moto, na Avenida Venâncio Neiva, nas próximidades do Parque do Povo, em pleno centro da cidade, nas proximidades do Colégio Estadual Obdúlia Dantas.

Na manhã do domingo(21Junho2020) foi a vez do homicídio d
o servidor público que trabalhava na Secretaria da Educação Moisés Pedro de Sousa Filho(51 anos), o qual foi assassinado a tiros de pistola na porta de sua residência, sito à Rua Cantidiano de Andrade, no bairro do Batalhão, localizado na zona sul da sede do município de Catolé do Rocha.

Segundo informações preliminares, logo após o crime de homicídio perpetrado contra o servidor público, oito homens encapuzados, fortemente armados, invadiram o sítio Cantinho, na Zona Rural oeste do município Catolé do Rocha, a procura de uma pessoa e como não a encontraram atiraram várias vezes contra quatro homens de uma mesma família, os quais, sem a mínima chance de defesa, vieram a óbito.

Foram assassinados os agricultores José da Silva Lima(48 anos)Jonatas Linhares Lima(18 anos)filho de José da Silva(Foto acima)Erinaldo Severino(57 anos) e Tadeu de Sousa Almeida(36 anos), (Foto abaixo), que residia na casa da frente).

Na sanha assassina, perpetrada na chacina do Sítio Cantinho, foram disparados mais de 200 tiros pelos algozes. Uma mulher que estava dentro da casa conseguiu escapar da morte escondendo-se dentro de um guarda roupa, encobrindo-se debaixo de roupas. Após a prática da chacina, os assassinos fugiram sem deixar pistas. Na sequência, a mulher que escapou com vida foi quem chamou a Polícia e avisou a família sobre o crime. 

Existe a suspeita, dentro das linhas de investigaação, de que grande parte da série de homicídios que estão sendo praticados na cidade por conta de disputa empreendida entre dois ex-presidiários que cumpriam pena no vizinho Estado do Rio Grande do Norte e que estão residindo no Sertão paraibano, nas cidades de Catolé do Rocha e Bom Sucesso.
Informações não oficiais dão conta que vários integrantes de duas famílias teriam vindo residir na cidade de Catolé do Rocha, fugindo da saga fraticida envolvendo a parentela, que já vitimou de 8 a 12 mortes por meio violento. Eles estariam disputando o comando do tráfico de drogas na região. Essa informação, no entanto, ainda está sendo apurada pela Polícia.

No entendimento do Delegado da Polícia Civil Miroslav Alencar, existe a possibilidade de que uma disputa de facções pelo tráfico de drogas na região, tem causado boa parte das mortes, no entanto ele acredita que essa disputa não tenha sido a otivação para a chacina do domingo(21Junho2020). ”Não há indicação de que aquelas pessoas tinham relação com os grupos criminosos”, pontuou o delegado.

Na cidade ninguém ousa falar publicamente sobre o assunto, entretanto, a "boca miúda", populares murmuram que a motivação dos homicídios da chacina tenha sido por motivo de vingança contra a família e que uma das vítimas já estaria "jurada de morte" e já estava pensando em deixar o lugar, versão não corroborada pelo Delegado Miroslav Alencar. ”Já houve muito em Catolé do Rocha, briga entre famílias. Hoje, a guerra migrou para os grupos criminosos”, pontuou.

Em um vídeo encaminhado a imprensa, o Delegado Geral da Polícia Civil do Estado da Paraíba, Isaías José Dantas Gualberto garantiu que a equipe de policiais civis lotadas na 18ª Seccional com sede em Catolé do Rocha, está empreendendo todas as diligências necessárias para a elucidação de todos 30 homicídios registrados desde o início do ano e fez um apelo a população de Catolé do Rocha, no sentido de que os moradores venham a colaborar nas investigações e denunciar, de forma sigilosa, através do disque denuncia 197, para que se possa no mais rápido espaço de tempo possível prender os autores dos bárbaros crimes. 


* Redação com Ascom/PCPB.

Essa matéria já foi vista 895

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.